Boston

Sem dúvida uma das cidades mais interessantes que visitei nos Estados Unidos. Boston simplesmente surpreende quando, com muita maestria, consegue harmonizar uma imensa bagagem histórica com traços de modernidade. O resultado dessa mescla é a gostosa sensação de ora caminhar por ruas estreitas de paralelepípedos e luminárias amarelas, ora percorrer grandes avenidas com modernos edifícios e carros de última tecnologia passando ao seu lado.

Não raras vezes é possível esquecer que estamos em solo americano e ter a impressão de estar em alguma cidadezinha do leste europeu. A razão disso se dá pela resistência que possui Boston em se entregar por completo à modernidade, aliada aos fortes resquícios da colonização inglesa no ano de 1630 e a consequente transformação da cidade em um dos principais centros culturais da América. Vale lembrar, também, que as intensas disputas entre americanos e ingleses – como, por exemplo, o Boston Tea Party, em 1773, quando colonos americanos invadiram as embarcações da Companhia Inglesa das Índias e lançaram o carregamento de chá ao mar –, contribuíram em muito para a formação do atual cenário.

Já em uma época mais pacífica (ou não!), a cidade possui vários pontos de interesse bem fáceis de serem explorados. Uma forma de chegar até eles é utilizando o transporte público, que é bastante eficiente e tem um preço justo. Boston tem o metrô mais antigo do país, mas não se preocupe: o sistema foi totalmente reformado e a abrangência de suas 5 linhas – azul, laranja, verde, vermelha e prata – cobrem praticamente toda a cidade. A tarifa é por viagem e se paga $ 2,65 dólares. Tem ainda o day pass, que custa $ 12 dólares e o monthly pass, que custa $ 75 doletas. A South Station é a estação principal e mais central. (valores atualizados em março/2015).

Outra maneira de conhecer Boston, principalmente para aqueles que têm pouco tempo na cidade – que foi o meu caso – é fazer um tour em um ônibus double deck, que em Boston se chamam trolley. Fiz pelo Super Tour e foi uma ótima escolha, pois através dele foi possível ter uma visão geral da cidade e descer nos pontos onde mais me agradei. Eles trabalham com 2 linhas de itinerário e com 2 tipos de pacotes: o Basic Upper Deck Trolley Ticket e o Premium Upper Deck Trolley Tour with Cambridge Loop & Harbor Splash. O primeiro custa aproximadamente $30 dólares ($24 para estudantes, idosos e militares e $15 para crianças) e é válido para apenas 1 dia. Já o segundo custa aproximadamente $40 dólares ($35 para estudantes, idosos e militares e $20 para crianças) e o passe é válido por 3 dias, além de incluir 4 atrações grátis (Harvard Museum of Natural History, Old South Meeting House, Massachusetts Institute of Technology e Institute of Contemporary Art). Outra vantagem desse último é incluir o divertido e original Super Duck Tour, que é feito á bordo de um caminhão anfíbio da 2ª Guerra Mundial, adaptado para mostrar Boston de uma forma bastante original aos turistas. O passeio tem um grande trecho pela cidade antes de fazer um emocionante splash no Charles River. Durante todo o percurso os guias vão explicando curiosidades sobre a cidade e interagindo com a população. Por onde a viatura passa os locais vão fazendo um gesto com a mão em forma de bico e emitindo um som de pato (quá-quá). É muito engraçado!!!

O divertido Super Duck Tour

Independente da forma que você escolha para explorar Boston, abaixo listo as atrações que considero imperdíveis por lá:

Freedom Trail – É uma trilha gratuita de 4,5 km marcada no chão, onde caminhando é possível percorrer os 16 pontos históricos de Boston e da Revolução Americana. O mapa oficial pode ser baixado aqui.

Ao longo da trilha você encontrará esse símbolo

Boston Common – é o “Central Park” de Boston. Fundado em 1634, é o parque mais antigo dos Estados Unidos. Para chegar lá via metrô basta descer na Park, Boylston ou Arlignton Station.

Boston Commom Park

Old State House – É o prédio histórico mais antigo de Boston. Foi construído em 1713 e representa um dos marcos da Revolução Americana. Fica na 206, Washington Street.

Massachusetts State House (New State House) – Com uma imensa cúpula dourada, é talvez o prédio histórico mais imponente de Boston. Atualmente é a sede do Poder Legislativo Estadual, mas já foi a casa do Primeiro Governador de Massachusetts, Mr. John Hancock. Fica no bairro de Beacon Hill, em uma das extremidades do Boston Common Park. Voluntários fazem um tour gratuito de aproximadamente 40 minutos.

A New State House e sua abóbada dourada

Public Garden – Fica bem pertinho do Boston Common. Também é o mais antigo jardim botânico dos Estados Unidos.

Fenway Park – É o “quintal” dos Red Sox, mais famoso time de baseball da cidade, quiçá do país. Aproveite para caminhar pelo parque e, se der sorte do calendário coincidir com alguma das disputadas partidas, observe toda a festa. Se a ideia é assistir a um jogo, ingressos podem ser comprados no site do time – RedSox. Estação de metrô: Kenmore Station.

Escultura dos Teammates do Red Sox

TD Garden – Já que o assunto é sobre esportes, recomendo uma passada no TD Garden, a Arena do principal time de basquete da cidade, o Boston Celtics. Para ingressos, acesse o site. Chegar lá é facinho: Desça na North Station.

Harvard – Vale muita a pena dar um pulo na vizinha Cambridge e conhecer o campus, os jardins e as instalações da renomada universidade. A estação mais próxima leva o mesmo nome: Harvard Station.

Portões da renomada Harvard University

Museu da MIT – Massachusetts Institute of Technology – Um surpreendente e interativo museu de tecnologia. Foge completamente da regra dos museus clássicos. Para quem gosta de tecnologia e ciência, não há melhor lugar! Recomendo!

Prudential Tower – É o ponto mais alto de Boston. Lá de cima é possível ter uma linda vista panorâmica da cidade. Também muito fácil de chegar: Prudential Station.

Faneuil Hall Marketplace – Sou da teoria que o Mercado Público de cada cidade deve ser visitado. E em Boston não deveria ser diferente. O Faneuil é uma ótima pedida para fazer uma pausa e comer algo. Fica no centro da cidade, podendo ser alcançado pelo State Station.

Trinity Church – Uma das igrejas mais bonitas que visitei. Há um tour guiado bem interessante. Custa $ 7 dólares e você ganha um mapa informativo.

Interior da linda Trinity Church

Boston ainda conta com uma infinidade de outras atrações as quais não tive tempo de visitar – Museum of Science, Museum of Fine Arts, New England Aquarium, Institute of Contemporary Art, Boston Public Library, Museum of Natural History, Old South Meeting House… Fica para uma próxima!

Sobre dicas de hospedagem em Boston, confesso que não sou uma boa referência. Explico: Quando estive por lá fiquei no antigo prédio do Hostelling International – HI. Era super bem localizado, próximo ao Fenway Park. Uma pena que só a localização era boa – e a lasanha grátis servida nas quintas à noite também! As instalações eram bastante antigas e precárias. A boa notícia é que logo em seguida o hostel mudou de endereço, com a promessa de modernas instalações. Mais ainda não visitei.

Com ou sem dicas de hospedagem, tenho certeza não será difícil achar um ótimo local para explorar essa infinidade de atrações.

Uma ótima viagem!

Rodrigo Siqueira

Rodrigo Siqueira

Gaúcho, advogado por formação, instrutor de mergulho e mochileiro por opção. Acredita no turismo simples, sem frescuras. Viaja não só para visitar lugares, mas também para conhecer diferentes culturas, interagir com o povo local e experienciar o novo. Não consegue mais não viajar. Sempre com um mapa à mão, pronto para escolher o próximo destino.
Rodrigo Siqueira

Related Posts