Mr. Musa – O barqueiro mais gente boa da Tailândia

Uma das perguntas que recebo com mais frequência é: “Rodrigo, você indica algum barqueiro de confiança para fazer um passeio privado em Long Tail pela ilha? E agora, pelo título desse post, você já sabe a resposta… SIM! Indico muito o Mister Musa, o barqueiro mais gente boa da Tailândia.

Antes de falar sobre os serviços dele, no entanto, tenho que dizer o porquê de tamanha confiança e indicação. Pois bem, trabalho em Koh Phi Phi como Instrutor de Mergulho na Profun Divers (veja o post sobre o Mergulho em Koh Phi Phi clicando aqui) e sempre que preciso fazer algum perfil de imersão em que eu não possa sair com o barco grande por questões de logística – determinados cursos ou mergulho em naufrágio, por exemplo –, contrato os serviços de Long Tail do Mr. Musa.

Um parêntese: já falei duas vezes “Long Tail” e não expliquei o que é. Long Tail são aqueles barquinhos típicos tailandeses, de madeira e motor, geralmente com coroas de coloridas flores penduradas na proa (parte da frente da embarcação). Aliás, você sabe a razão da tal coroa?! Eles acreditam que na proa se encontra o espírito do barco e assim as flores são um gesto de devoção.

Mergulho em Koh Phi Phi, Tailândia

Alô viajantes!! Um dos programas mais procurados por aqueles que vêm à Tailândia é, sem dúvida, o mergulho! E não sem razão, pois o fundo do mar desse país é simplesmente surpreendente: águas mornas, visibilidade excelente e muita vida marinha!

Desde que cheguei a Koh Phi Phi (dez/2016) venho fazendo imersões incríveis, apresentando o fundo do mar a muita gente legal, bem como dividindo meus conhecimentos com quem deseja se tornar mergulhador ou aprimorar sua certificação.

Mergulho basicamente todos os dias e não consigo me cansar desse mar incrível (e nem quero!).

Delícias tailandesas – uma volta pelos melhores sabores do país

Uma das coisas que alguns viajantes mais buscam durante uma viagem é, sem dúvida, imergir na cultura local. E essa imersão pode ser feita através das mais variadas maneiras, as quais renderiam um post específico à respeito. Entretanto, uma das formas mais lídimas de resgatar o incessante desejo de estar inserido de fato nas atividades genuínas de determinado povo se dá por intermédio da gastronomia. E fazendo um trocadilho bem clichê, a Tailândia é um prato cheio para tanto.

A gastronomia tailandesa ganhou destaque mundial nos anos 60, graças à presença de soldados americanos durante a Guerra do Vietnã. Um típico prato tailandês pode ser definido com uma fusão inteligente e precisa de ingredientes distintos que, como resultado final, despertam as sensações do doce, do apimentado, do azedo e do salgado, na grande maioria das vezes duas ou mais delas mescladas.

Bate volta em Chiang Rai e arredores

Chiang Rai é uma interessante e pacata cidade localizada no extremo norte da Tailândia, capital da província homônima, e um dos principais destinos daqueles que visitam a famosa vizinha Chiang Mai, uma vez que apenas cerca de 180 km de distância as separam.

Além disso, ela tem um viés histórico muito interessante, já que sua trajetória é cheia de altos e baixos. Em uma apertada síntese, após sua fundação tornou-se a capital do Reino de Phaya Mangrai, mas posteriormente foi tomada por Myanmar, a qual a dominou por muito tempo. Anos depois, já no século XVIII, voltou a fazer parte da Tailândia, agora no Reino de Sião, pertencendo, assim, à Chiang Mai. Apenas no século XX, mais precisamente em 1910, Chiang Rai passou a ostentar o título de província tailandesa.

Jazz nos trilhos

Não tenho dúvida que você, leitor(a), já frequentou diversos bares na sua vida. Alguns modernos, outros caros, uns com aquele petisco delicioso, outros com aquele visual incrível e até aquele bem botecão mesmo, com cerveja barata, só para dar risada com os amigos. Mas agora te faço uma pergunta: Você, por acaso, já esteve em algum bar dentro de um vagão de trem, em uma estação ferroviária desativada?! Caso a resposta seja não, deveria colocar na lista.

Se ficou curios@, basta ir ao BTNK, um bar super cool que ocupa o vagão de trem do ano de 1918, na agora reformada estação ferroviária da Mooca – logo ao lado do Museu da Imigração – na cidade de São Paulo.

Se joga!!! Muita adrenalina no salto do maior bungee jump de ponte do mundo

“3, 2, 1, GO!!!” – Isso foi a última coisa que escutei antes de me jogar do alto da Bloukrans Bridge, na Garden Route, África do Sul.

Ainda nas minhas pesquisas antes de viajar, quando fiquei sabendo dessa aventura, não hesitei: tinha que incluí-la em meu roteiro. Afinal, era uma grande oportunidade para eu literalmente pular da ponte.

A ponte em questão é a Bloukrans Bridge, que com seus 451 metros de comprimento interliga as províncias Sul-Africanas do Cabo Oriental e Ocidental pela National Route 2 na Região de Nature’s Valle / Tsitsikamma National Park. Abaixo dela, mais precisamente a 216 metros, cruza o rio homônimo, o qual deságua no Oceano Índico.

O que te faz querer viajar?

Daqui exatamente 1 mês estarei embarcando em uma nova viagem, um verdadeiro desafio por países com culturas, línguas, escritas e costumes totalmente diferentes do Brasil. Serão 6, 7 meses por exóticas nações que se encontram do outro lado do mundo, sob o nosso ponto de vista.

Como sempre busco refletir nas minhas jornadas – não somente durante, mas principalmente antes e depois delas – comecei a me indagar sobre o que mais me empolga na nobre arte de viajar.

Guia de Bonito/MS – o que fazer, como ir, passeios, hospedagem…

Sem qualquer intenção de fazer aqueles trocadilhos clichês, Bonito, no Mato Grosso do Sul, é realmente um destino que todo o viajante que busca contato direto com a natureza deve conhecer.

Estando relativamente perto da capital Campo Grande, Bonito é um dos destinos mais procurados do Brasil. E não é para menos, dado que as paisagens são realmente lindas. São rios, lagos, fauna e flora regional, cerrado etc.. Enfim, há muita natureza envolvida.

Um dia de preguiça na Playa Blanca, em Cartagena

Quando planejei visitar Cartagena estava decidido a não ir à praia, pois havia escutado de diversos viajantes que a costa não era lá essas coisas e, além disso, pelo meu itinerário, eu estaria chegando das paradisíacas ilhas de San Andrés e Providência. No entanto, ao colocar meus pés na histórica cidade colombiana, o calor me fez mudar de ideia.

Decisão tomada, estava determinado: ia passar um dia inteiro apenas relaxando, fazendo absolutamente nada, na Playa Blanca, na Ilha Barú, considerada a praia mais bonita de Cartagena.

Chocolate de Belize

Se você pensa que a gastronomia de Belize se resume a peixes e frutos do mar, está enganado. Muito mais do que tais iguarias – também deliciosas! –, o pequeno país é referência na produção de chocolates.

E não é à toa que o país leva esse título. O processo é bastante artesanal e criterioso. Tudo começa nas pequenas propriedades familiares localizadas no extremo sul de Belize, onde o cacau é plantado e colhido. Retirado os grãos da polpa, a matéria prima é deixada fermentar, ao sol, envolta em folhas de bananeira. São escolhidos os melhores grãos para serem torrados e, após essa etapa, eles são separados da casca. Agora o chocolate começa a nascer.